Showrunners, the movie

showrunners

Showrunners: A Documentary Film is the first ever feature length documentary to explore the fascinating world of Us television showrunners and the creative forces aligned around them. These people are responsible for creating, writing and overseeing every element of production on one of the United State’s biggest exports – television drama and comedy series. The film takes audiences behind the scenes of the chaotic world of the showrunner to reveal the incredible amount of work that goes into making sure their favorite TV series airs on time as well as the challenges that showrunners must overcome to ensure a new series makes it onto the schedules at all.

The premise is simple: Director Des Doyle and crew interview some of the biggest showrunners in Hollywood, giving the audience an inside look at how their favorite shows are made. It’s the kind of behind-the-scenes documentary film fans eat up.

Some of the talent appearing in Showrunners: A Documentary Film include:

showrunners

Uma indústria de entretenimento

Esta semana participei do Forum Brasil de Televisão  (surpreendentemente) pela primeira vez. Trabalhando há muitos anos fora do Brasil, no ano passado, muito movida pelas mudanças no mercado, voltei a trabalhar com os brasileiros e criei em parceria com a Panoramica e Globosat, um evento sensacional dedicado a capacitar roteiristas (continuo querendo chamar o evento de Rio Script ao invés de Programa Globosat  de Desenvolvimento de Roteiristas, totally brandless).
imagesO Brasil vive um momento muito especial. Tanto as leis de incentivo quanto a lei do cabo oferecem a oportunidade de realmente se criar um mercado competitivo, uma indústria audiovisual. Um indústria
com gente qualificada em funções específicas (roteiristas, show-runners, development execs, producers), além de uma programação original mais competitiva, temporadas de pitches,  pilotos e quem sabe um dia até agentes.
Falta muito até chegarmos a uma indústria de entretenimento como o americano (afinal é o segundo maior produto de exportação da maior economia do mundo) mas o que se começou há mais ou menos um ano, aqueceu o mercado de tal forma que é natural dar o próximo passo rumo ao amadurecimento. E em 5 a 10 anos, ter programas no mundo inteiro. Quem sabe o próximo Homeland não vai ter vindo do Brasil?
Com a implementenção da lei, seja por razões culturais, prazo ou mesmo know-how, as produtoras independentes não estavam preparadas para suprir a demanda, nem os canais estavam preparados estrategicamente para produção original.  O que eu vejo, olhando de fora, é que se produziu barato para cumprir cotas e se produziu caro porque podiam.  Só que esta dinâmica não sustenta um Mercado de TV, que agora é multi-plataforma. E vai contra o propósito dessas leis, que existem para fomentar a indústria (e um dia deixarem de existir). Não são bolsa-família, certo?
O Brasil tem gente talentosa, mas produtores e canais não estão falando a mesma língua, a mão esquerda e a mão direita não estão se falando…ainda. Ouve-se  mais o mantra “precisa-se de roteiristas”, do que “recebi roteiros ótimos”.  Claro que há roteiristas,  muitos. Mas eles precisam ser capacitados e melhorar MUITO seus scripts. É preciso investir em development/desenvolvimento de histórias que caibam dentro de posicionamento distintos de canais e que sejam trabalhadas até ficarem excelentes para entrarem em produção. Só depois irem ao ar. Também não temos tradição de produzir séries de ficção,  não temos a figura do show-runner e na minha opinião cultiva-se o mito do diretor como autor.  Eu brinco dizendo que todo mundo que fazer “meulonga”. Na televisão isso não acontece, na  ficção de TV, o roteirista é que rei.
Nos Estados Unidos, estamos vivendo a Era de Ouro da TV,  com as melhores histórias sendo contadas no cabo…. Os grandes roteiristas estão migrando para a TV porque lá podem contar histórias de 100 horas. E este mercado continua em evolução, com Netflix, You Tube e Amazon. O consumidor vai atrás de uma boa história, não importa the means of distributions.
Mashá luz no fim do túnel. Pelo menosposso falar da experiência com Globosat. Depois do nosso Programa de Desenvolvimento para os roteiristas, vejo o comprometimento deles em realmente tornar o mercado mais maduro a médio/longo prazo. Os 12 projetos finalistas deram a Globosat um pequeno acervo de conteúdo. De lá, 2 projetos já começaram a ser desenvolvidos, um terceiro também terá um piloto.  E vamos começar a treinar show-runners, que é quem vai dar unidade à série, sem perder a visão do lado business.  Guardadas as proporções é assim que funciona nos EUA. Eles estão fazendo tudo certo para amadurecer o mercado.

101 Best Written Series Ever

d4808d4648         Hoje o WGA tem um red carpet em Beverly Hills para seu ‘hall of fame’ de roteiristas, listando as 101 séries de TV mais bem escritas nos últimos 70 anos. A escolha foi feita por votação de todos os membros do WGA. Espera-se ver Norman Lear, Carl Reiner, Steven Bochco, Gail Parent, James . Brooks, Merrill Markoe, Winnie Holzman, Ronald D. Moore, Matthew Weiner, Steven Levitan, Vince Gilligan, David Shore, Terence Winter, Jason Katims, Bill Odenkirk, D.C. Fontana, Mike Scully, e muitos mais. To be eligible, shows had to be in english and couldn’t be written by a single writer. Deadline is making a fuss about the sponsor, TV Guide. Well, someone had to, no? Haven’t we seen countless Top 100’s of comedies and dramas and horror pics? Well, let them pay the bill for the red carpet. Voting was for members only. The special tribute event at the Writers Guild Theater and exclusive live webcast will be presented on WGA.org

Writer’s Room, the Show

sundance_originals_560
Sundance Channel e a revista Entertainment Weekly vão estrear um programa inteiramente dedicado a roteiristas de TV. The Writers’ Room será parte talk-show, parte mesa redonda com os mais talentosos roteiristas da atualidade, revelando segredos de suas séries, decisões difíceis que tiveram de tomar, erros, etc. No programa, roteiristas de várias, incluindo Breaking BadDexterGame of Thrones e American Horror Story, Parks and Recreation e New Girl. Quem apresenta é o roteirista de “The Descendants” e ator de Community, Jim Rash.  6 x 30’. Estréia em 29 de Julho.