Yellow Brick Road Magic

The-Wizard-of-Oz-610x343

Four projects are currently in development with the magical figures of Oz. I know what they’re doing… Step 1) check out the ephemeris and, step 2)  find big anniversary, step 3) package it as a marketing gimmick and, 4)  there you have it, a development deal.
The iconic Oz with Judy Garland is going on 75 years in 2014, hence a flurry of Oz on TV.
Deadline reported that the producers of Elementary were developing a series for the CW  based on a book still to be launched, Dorothy Must Die (out in April of 2014). Now I read that NBC has purchased an Oz-themed drama called Emerald City from Siberia creator/show-runner Matthew Arnold. Another Universal channel (Syfy) is developing Warriors Of Oz, a miniseries. And of course we had Disney’s 3-D feature, Oz the Great and Powerful earlier this year.
On GMA this week, Lady Gaga, with no development deal and going through a rough time to make Applause a hit, dressed up as Dorothy It fell off the charts the next day.

NYC Nouvelle Vague Summer’13

Bistros and brasseries reached their height of buzz in the late ’90s/early ’00s (just around the time that Sex and the City made Balthazar in New York a household name). In the years since, such transparently French transplants became somewhat expected, and their cuisine started to seem old hat. Lately, however, we’re seeing a resurgence of interest in French culture—its aesthetics, its foods, and even its lingerie.
frenchNo blog da Carla, cheguei a falar da onda francesa que assolou NY este verão, especialmente downtown,  onde novas brasseries e bistrôs trouxeram de volta os prazeres (simples) da cozinha francesa. Primeiro foi Monmartre, uma brasserie despojada, com jornais do dia, pratos pequenos, médios e grandes, em Chelsea (que precisava muito). Depois veio Calliope no East Village, com seu menu retro, ostras e coelhos e novos players na gastronomia de NY (o casal Eric Korsch e Ginevra Iverson). O Le Philosophe na Bond Street adicionou alguns toques de haute cuisine, com seus patos e lagostas. Mas o melhor acho que foi o novo de Andrew Carmellini, Lafayette, na Lafayette St, com seu menu gigante, com pratos de todas as regiões da França, ingredients de mercado e comida para o dia a dia. Os preços nem se comparam a São Paulo – o prato mais caro provavelmente sai por $35. Vive La France!

Tastemade

Quem disse que You Tube é só para videos de gatinhos serelepes e cachorros semi-histéricos? Indeed, a plataforma de video que possibilitou canais inteligentes (como o SciShow e o Intelligent Channel) também chegou na cozinha. Tastemade, que acabou de ter uma injeção de capital de 10 milhões de dólares, não vai demorar muito para se tornar a Food Network da era digital.  Tastemade tem 100 canais feitos com uma curadoria super atenciosa, totalmente voltada para videos de receitas. A rede até oferece treinamento em artes culinárias para seus criadores de video. Assim garantem o padrão estético.
Screen Shot 2013-08-22 at 8.16.46 AM

Desenvolvendo Roteiristas

Este projeto na verdade surgiu da minha total frustração de encontrar bons roteiristas que escrevessem séries de ficção para a TV.  Logo depois do A&E, e em busca do que fazer, eu sabia que tinha que fazer algo com “roteiros”, a palavra da moda… E conversando com uma velha amiga em Janeiro de 2012,  discutíamos que o momento do Brasil era oportuno e que havia a necessidade de se formar bons roteiristas. Não demorou muito, Mara e eu estávamos com um projeto pronto embaixo do braço, batendo de porta em porta nos canais de TV paga no Brasil e estúdios de LA, apresentando a idéia. Encontramos na Globosat o parceiro ideal: a maior programadora do Brasil, que abriga mais de 30 canais e tem o mesmo desafio de todos os canais pagos de aumentar a produção original queria fazer este projeto.

Me arrependo de não ter fotografado cada etapa do caminho, porque tornou-se praticamente um reality show: decidimos começar com McKee, inscrições gratuitas, 1200 inscritos para apenas 250 vagas…. Das 250 vagas, 150 poderiam se candidatar a segunda etapa com os mentores Marta Kauffman, Dan Halsted, Barry Schkolnick e Anthony Zuiker. Recebemos 94 projetos e deveríamos chegar a 24. Fizemos uma primeira triagem, chegamos a 80. Submetesmos os 80 a 5  comitês de 5 peassoas na globosat, que elegeram 25. Submetemos os 25 então a uma bancada final, composta por roteiristas experientes, como Jorge Furtado, Lucas Paraiz o e Carlos Gregório. elegemos 7 facilmente e chegamos a um consenso para chegar a 12. Temos 12 eleitos. Hoje divulgamos os resultados. Estou feliz.
De certa forma, podemos dizer que este projeto contribui fortemente para a consolidação das mudanças em andamento na TV paga brasileira. Com a obrigação de produzir conteúdo e sem tradição alguma de produzir o formato mais característico dos canais a que se destinam – seriado de ficção – encaramos este  desafio como em uma missão e estamos determinados a cultivar uma nova geração de roteiristas especializados justamente em seriados de ficção. Trabalharemos com um grupo reduzido em uma cidade inspiradora, gerando  12 séries com grande potencial de sucesso, com mentores que fazem parte da nata de roteiristas na mais importante indústria de entretenimento do mundo. Por uma semana participaremos de palestras e laboratórios , numa oportunidade única de intensa criatividade, informação e diversão.
Vi coisas boas e vi coisas medíocres. Acho que o Brasil está num momento ótimo. E a produção vai crescer. Quero agora colaborar para transformar este mercado em uma indústria mais profissional. Vontade e capacidade eu tenho….

Bacon na TV

Não vai demorar muito, bacon vai ser tratado como iguaria tão requintada que vai fazer inveja à trufa! E nos EUA, onde o lugar do bacon é num pedestal, come-se bilhões de tonaladas por ano, nada mais consistente do que estrear uma série de TV de 12 episódios em busca da cozinha que oferece a criação mais “apetitosa, de dar água da boca e fazer o estômago rosnar”. Ony in America. E como eles mesmo dizem, mais self-indulgent impossível.  United States of Bacon acaba de estrear no Destination America e é um spin-off do especial de verão “O Bacon”.  O chef que apresenta o programa Todd Fischer percorre o país se lambuzando em bacon. E feliz. Ele é, ça va sans dire, bem acima do peso, sua muito e dispensa pérolas como “I want to wrap myself in bacon and sizzle”.  Nnao vejo a hora do novo livro de Michael Pollan sair, Cooked. Michael Pollan é aquele autor de Omnivore’s Dilemna que fez a gente nunca mais querer comer ovos que não sejam orgânicos e dispensar o milho para sempre  O bacon está presente diariamente em 53% das casas americanas.